Comentários, página 8 | Acervo da Revista Bula
revista bula
  • Elizabeth Tailor.......de longe a mais bonita das 10 lindissimas apresentadas...


    8 anos atrás por José Saraiva sobre As 10 atrizes mais bonitas de todos os tempos – a lista das listas
  • Nota: Cristina, é PARA MORRER ANTES DE LER

    Acho que realmente alista peca pelo facto de repetir autores , tais como Paulo Coelho ( nada de transcendente no meu ponto de vista), e realmente falta grandes vultos da literatura...

    8 anos atrás por Cristina Enes
  • Não acho que Saramago, Clarice, Humberto Eco e até mesmo o Dan Brown mereçam estar nessa lista.

    8 anos atrás por Robson Valentim sobre 40 livros PARA MORRER antes de ler
  • Tanta modéstia dá até raiva! rs...

    "Não tenho genialidade de nenhuma espécie."? Como assim?

    8 anos atrás por Andreia sobre A última entrevista de Jorge Luis Borges
  • Oi Eberth

    Posso lhe fazer uma pergunta? Brigado por não responder. Afinal porque não foste a Curitiba?

    Grande abraço.


    8 anos atrás por ildosimoes sobre Pergunte ao Poe
  • Espetacular . Como disse Lao te Sé o bem e o mal caminham lado a lado e se completam. Parabens Eberth.

    8 anos atrás por Junior Seabra sobre Segredos jamais revelados da minha intimidade com as gêmeas siamesas Lucy e Sky
  • Tenho 61 anos e talvez eu tenha lido metade dessa lista. Isso porque sou viciada em livros e leio desde meus 5 anos de idade. Será que essa nova geração, com tantas outras opções de lazer, conseguirá ler ao menos dez por cento dessa lista?

    8 anos atrás por Maria de Fátima Vasconcelos sobre 40 livros para ler antes de morrer
  • Talvez elas tenham se mudado para Pasárgada, já que eram amigas do rei...

    Ótimo, como sempre...
    Parabéns EBERTH...

    8 anos atrás por Felipe sobre Segredos jamais revelados da minha intimidade com as gêmeas siamesas Lucy e Sky
  • E a Anita Ekberg e a Gina Lollobrigida?

    8 anos atrás por d'Angelo sobre As 10 atrizes mais bonitas de todos os tempos – a lista das listas
  • Muito bonito o seu texto. Numa época apenas de críticas é bor receber um elogio.
    A propaganda/midia faz com que os planos de saúde não sejam vistos no seu âmago. A lógica da medicina, hoje, é muito mais complexa.

    8 anos atrás por Gustavo Baptista sobre Médico é que nem sal: branco, barato e se encontra em qualquer esquina
  • Excelente texto.

    8 anos atrás por Gustavo Baptista sobre Sobre o direito de dizer merda
  • Excelente o texto e a entrevista. Borges curiosamente demonstrava grande humildade.

    8 anos atrás por Gustavo Baptista sobre A última entrevista de Jorge Luis Borges
  • Nota: Emanuel Mariano, tenho certeza que você é mais inteligente que este comentário. Leia a introdução da lista que vai compreender.

    A pessoa que fez essa lista tem 90 anos de idade?

    Brigite Bardot, Elisabeth Taylor, Sophia Lauren, Audrey Hepburn e a Grace Kelly estariam, sim, na minha lista.

    Porém as demais são facilmente substituídas por outras contemporâneas sem o menor esforço.

    8 anos atrás por Emanuel Mariano sobre As 10 atrizes mais bonitas de todos os tempos – a lista das listas
  • Mr anderson! (matrix)

    8 anos atrás por Beth sobre As melhores falas da história do cinema
  • Sophia Loren é a mais linda de todos tempos.

    8 anos atrás por Sophie Vieira sobre As 10 atrizes mais bonitas de todos os tempos – a lista das listas
  • Delícia de texto!

    8 anos atrás por Thaís sobre Pergunte ao Poe
  • Boa noite. Gostaria de receber um texto do Carlos Drummond que se chama Perdoar (se não me engano) ele começa com IMAGENS E SUPLICAS.

    Atenciosamente,

    Ana

    8 anos atrás por Ana Paula sobre Os dez melhores poemas de Carlos Drummond
  • Estou lendo 2083: A european declaration of independence, assinado por Andrew Berwick, pseudônimo de Anders Breivik, autor dos recentes atentados ocorridos na Noruega.

    Essa leitura é um trabalho que me desafia. Leio sempre com o compromisso de tornar compreensíveis a visão de mundo e o sentido das ações daqueles que se batem pelo ofício da escrita. Acredito que da compreensão nasce a simpatia e a aceitação de que cada homem e mulher é um ser único e valioso. Ler, para mim, é um movimento amoroso na direção do outro: Trata-se de uma aventura existencial e não do soletrar inofensivo de um texto qualquer. Por isso, me dói ler 2083.

    É certo que seria mais fácil utilizar outras chaves hermenêuticas. Seria simples realizar uma leitura acusatória, apontando aqui e ali as passagens (são tantas) que me embrulham o estômago ao afrontar em cheio valores que me são mais caros. O preço dessa abordagem é que corro o risco de substituir um fundamentalismo por outro, sem dar chance ao diálogo. Outra chave cômoda seria apontar as incongruências do texto e assim descartá-lo, como o fruto incoerente de uma mente doentia. Aqui, o leitor poderia trilhar dois caminhos seguros.

    O primeiro, que chamaria de acadêmico, apontaria como Breivik leu de maneira equivocada autores clássicos como Karl Marx, Georg Luckács, Antonio Gramsci, Sigmund Freud, Edward Said e os teóricos da Escola de Frankfurt, cujas idéias são atacadas nas primeiras 50 páginas de 2083. Seria uma tarefa fácil pois esses autores me são familiares e a leitura de Breivik, rasteira. Qual seria, porém, o valor dessa disputatio acadêmica? De que me serve discutir teoria política, sociologia, antropologia e psicanálise, como se eu fosse o membro de uma banca de doutores incumbido da tarefa de avaliar as idéias de Breivik? Um manifesto político não se lê como uma tese ou um artigo científico, mas sim como um golpe de força que pretende fazer história.

    O segundo caminho buscaria as determinações do texto, que então seria considerado o epifenômeno de instâncias externas que explicariam a sua gênese. Aqui, as ciências sociais e a psicopatologia municiariam o leitor preocupado em identificar determinismos e relações causais. O autor e sua obra seriam acusados como meros representantes de cantões obscuros da extrema direita conservadora européia (seria esse o caminho dos cientistas políticos); ou então Breivik seria rotulado como doente mental e classificado em uma categoria qualquer do DSM-IV (seria esse o caminho dos psicopatólogos). Ambas as trilhas me seriam reconfortantes: Por meio delas eu conseguiria atribuir sentido aos atentados de 22 de julho e assim cultivaria a crença de que os homens de ciência e os líderes governistas seriam capazes de evitar a repetição de tragédias como essa.

    Desgraçadamente, prefiro avançar pela estrada mais difícil. Esgarçarei o manifesto até o seu ponto de consistência máxima, acolhendo a sua lógica e os seus valores, buscando reconstituir a visão de mundo que o informa e assim dialogar com aquele que o perpetrou.

    Na beira desse abismo, sinto apenas vertigem.

    8 anos atrás por Richard Ybars sobre Sobre o direito de dizer merda
  • Meu voto vai para Noite na repartição.

    8 anos atrás por marina w. sobre Os dez melhores poemas de Carlos Drummond
  • Parabéns! Foi o melhor texto que li sobre Star Wars. =)

    8 anos atrás por Igor Viana sobre Darth Vader: A trajetória de um perdedor
  • Na verdade, Edival Lourenço, o que está matando este país é exatamente essa velha teoria da "ação do ato". A novidade teórica do "domínio do fato", diga-se de passagem, não se aplica a todo "tipo" e "modalidade" de crimes, mas está circunscrito em casos específicos como esses apelidados de "crimes do colarinho branco". Quem já esteve "lá" e sabe como funcionam essas articulações vê, desde logo que essa é a alternativa jurídica possível para conter os descalabros que essas autoridades políticas estão impondo a todo país com uma autoridade e arrogância tal, que atingiu qualquer limite de tolerância. Essa filosofia aplicada ao Direito, tem muito que evoluir até que seja do conhecimento e domínio público.

    8 anos atrás por Jorge Medalla Sobrinho sobre O crime, as teorias e o sivirol
  • Os melhores livros que eu já li
    Os Miseráveis - Victor Hugo;
    OS Três Mosqueteiros - Alexandre Dumas;
    Memórias de Um Médico - Alexandre Dumas;
    O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas;
    As Aventuras do Sr. Pickwick - Charles Dickens;
    O Príncipe e o Mendigo - Mark Twain;
    Jane Eyre - Charlotte Bronte;
    Orgulho e Preconceito - Jane Austen;
    Emma - Jane Austen;
    Persuasão - Jane Austen;
    A Ilha do Tesouro - Robert Louis Stevenson;
    Ivanhoé - Walter Scott;
    O Homem do Terno Marrom - Agatha Christie;
    Os Brilhantes do Brasileiro - Camilo Castelo Branco;
    Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco;
    As Pupilas do Senhor Reitor - Julio Diniz;
    Os Fidalgos da Casa Mourisca - Julio Diniz;
    A Morgadinha dos Canaviais - Julio Diniz;
    A Moreninha - Joaquim Manoel de Macedo;
    O Moço Loiro - Joaquim Manoel de Macedo;
    Senhora - José de Alencar;
    A Luneta Mágica - Joaquim Manoel de Macedo;
    Iaiá Garcia - Machado de Assis;
    Reinações de Narizinho - Monteiro Lobato;
    A Escrava Isaura - Bernardo Guimarães;
    Mauricio - Bernardo Guimarães;
    Rosaura, a Enjeitada - Bernardo Guimarães;
    A Intrusa - Julia Lopes de Almeida;
    A Garota Rebelde - Emmy Von Rhoden;
    E o Vento Levou - Margareth Mitchell;

    8 anos atrás por sofia sobre 100 melhores livros de todos os tempos — lista das listas
  • “Assim como para a teoria econômica marxista cada formação econômica tende a conter resquícios de modos de produção mais antigos, também sobrevivem nas formas literárias vestígio das antigas”(Terry Eagleton – Marxismo e literatura pagina 53).
    O que isso senão o conceito ou teoria de angústia da influência criado por H. Bloom?


    8 anos atrás por tertuliano sobre O efeito Bloom
  • Os textos do EBERTH VÊNCIO são muito bons...
    Parabéns e continue nos presentando...

    8 anos atrás por Felipe sobre Pergunte ao Poe
  • Adoro listas. Ao contrário de muita gente, que fica furiosa pois suas predileções não foram estampadas, sempre me divirto e aprendo um pouco mais. Saí desta leitura com alguns títulos em mente.
    http://osatiricoimoral.blogspot.com.br/

    8 anos atrás por Daniel Castello sobre Os 100 maiores livros de não-ficção
  • Muito bom os poemas... Adoreei!

    8 anos atrás por Sandrinha Barbosa sobre Os 10 melhores poemas de João Cabral de Melo Neto
  • Acho que vc fez as principais perguntas mano, mas, faltaram mais 3 que acho importantíssimas: 1) Se o Roberto Carlos (o jogador) não tivesse ajeitado o meião naquele momento importante teríamos sido campeões do mundo? 2) Mulher é tudo igual mesmo? (pense antes de responder pq isso vai incluir a nossa mãe...) 3) Freud casou quantas vezes? Só mais uma última pra fechar: Perguntar ofende ou não? Espero que não... Parabéns e grande abraço.

    8 anos atrás por euler franco vencio sobre Pergunte ao Poe
  • Por um momento pensei que iriam refutar as teorias atribuidas a ele...

    8 anos atrás por Lucil Jr. sobre Bakhtin Desmas­carado — História de um Men­tiroso, de uma Fraude, de um Delírio Coletivo
  • Estranhei o boicote a Elvis Presley, Rei do Rock desde 1954 e originador de todos os demais citados no link a começar pelos Beatles fãs fanáticos do cantor. Ninguém influenciou como artista toda a humanidade do que ele. Ídolo nos EEUU e no mundo. Então porque o boicote que faz desacreditar tudo o mais destes links?

    8 anos atrás por Ricardo Khichfy sobre 100 links para clicar antes de morrer (parte 2)
  • Faltou Led Zeppelin, The Who, Aerosmith, Black Sabbath...

    8 anos atrás por Matheus sobre Os 10 melhores álbuns de rock da história — A lista das listas
  • Concordo com o Felipe. Só filme antigo. Que lista covarde. Apostar no cânone é muito fácil.

    8 anos atrás por Janio sobre Os 50 melhores filmes de todos os tempos segundo a revista inglesa Sight e Sound
  • Que texto bom!


    8 anos atrás por Pollyanna Peres sobre Pergunte ao Poe
  • Questionador, criativo, bom jogo de palavras, boas perguntas. Adorei!


    8 anos atrás por João Baptista de Alencastro sobre Pergunte ao Poe
  • PLAC, PLAC, PLAC, PLAC, PLAC... Bravíssimo!


    8 anos atrás por Mirian Oliveira sobre Pergunte ao Poe
  • Sensacional!

    8 anos atrás por Andreia sobre Pergunte ao Poe
  • Simplesmente o melhor texto que li ultimamente, criativo,com o toque certo de ironia,sátira e com amarrações sem o que dizer, adorei demais...
    Meus parabéns!!!!

    8 anos atrás por Eliane sobre Pergunte ao Poe
  • Valeu, Joyce.

    8 anos atrás por eberth vencio
  • Acho isso realmente interessante, a forma como um 'não' Alemão conseguiu dominar a Alemanha é escrotal e ver um homem com tal história cruzar os braços diante do "fuhrer" é de fato esplêndido.

    8 anos atrás por Maria Gabriela Gomes sobre O operário que cruzou os braços diante de Hitler
  • Acredito que valha a pena acreditar em Bakhtin, aquisição certa!

    8 anos atrás por Maria Gabriela sobre Bakhtin Desmas­carado — História de um Men­tiroso, de uma Fraude, de um Delírio Coletivo
  • Com certeza já estará na minha lista de aquisições!, pois este autor é um dos meus preferidos! Alguma previsão de lançamento no Brasil?

    8 anos atrás por Sérgio Alberto Bauchiglione sobre Japoneses praticaram canibalismo na Segunda Guerra Mundial
  • Gostei, acredito que o homem deva se adequar a evolução das mulheres afinal a mulher de hoje não é mais submissa aos desejos do homem e se um homem deseja uma mulher ao seu lado deve conquista-la de qualquer forma...

    8 anos atrás por Joyce Alves de Mello sobre 69 dicas essenciais para se dar bem no sexo e, quem sabe, no amor e nos jogos
  • Prova cabal de que havia bastante liberdade para estender ou não o braço! Eh! Eh! Eh! Eh!

    8 anos atrás por Coveite sobre O operário que cruzou os braços diante de Hitler
  • Como dizia um professor meu, bom senso não é senso comum.

    8 anos atrás por Aline sobre Sobre o direito de dizer merda
  • Meu pai, nasceu no Brasil, mas viveu em Berlim de 1937 a 1947 (dos 8 aos 18 anos de idade), quando voltou para o Brasil no navio Santarém. Hoje ele mora comigo em Curitiba e as histórias que ele conta daquela época realmente são muito interessantes e ainda estão muito presentes em sua memória.

    8 anos atrás por Anelise Geppert sobre Centenas de brasileiros lutaram ao lado dos nazistas
  • Gosto desse gênero que põe em desfile pessoas reais e personagens históricos, interagindo com personagens de verdade.
    Espero ler outros ensaios do gênero!

    8 anos atrás por Camila Mª S. Nascimento sobre Os tormentos da história
  • Você só esquece um detalhe: Pregações criminosas como as que pregam, por exemplo, o racismo ou o ódio a judeus não existem por si só e nem tem um fim em si mesmo. São o estopim para espalhamento do ódio, repercutem e reproduzem o ódio.

    Acredito que cada caso é um caso, mas pregações racistas e fanatizadas não devem ser permitidas em uma sociedade, ao passo que, como seu exemplo, o filme Ted não ofende a ninguém, a não ser imbecis atrás de votos que levam filhos de 11 anos para assistir filme para 16.

    Não se trata de proibir o ~ilegal~ e sim o que prega o ódio.

    8 anos atrás por Raphael Tsavkko Garcia sobre Sobre o direito de dizer merda
  • Ah, e o Código Da Vinci é interessante... Esse negócio de Jesus ter sido casado é conversa fiada... Mas o livro tem um suspense muito interessante.

    8 anos atrás por CleitonFurtado sobre 40 livros PARA MORRER antes de ler
  • Se eu não me engano, o Mein Kampf é até proibido...

    8 anos atrás por CleitonFurtado sobre 40 livros PARA MORRER antes de ler
  • Sim, todos temos direito a expressar tolices - poucos delas escapam. O problema é quando esses sandices arregimentam defensores, seguidores, outros tolos.

    8 anos atrás por Cláudio Oliveira sobre Sobre o direito de dizer merda
  • Sempre foda. Parabéns.

    8 anos atrás por Lauro sobre Sobre o direito de dizer merda
‹ Primeiro  < 4 5 6 7 8 9 10 11 12 >  Último ›
É permitida a reprodução total ou parcial sem autorização prévia dos editores, desde que citada a fonte.
© Copyright 2020 — Revista Bula — Literatura e Jornalismo Cultural — seutexto@uol.com.br
wilder morais
renovatio