revista bula
POR EM 12/11/2012 ÀS 06:19 PM

Os melhores livros ficcionais de 2012

publicado em

Perguntamos a 20 convidados — escritores, jornalistas, professores — quais foram os melhores livros ficcionais publicados no Brasil em 2012. Os convidados poderiam escolher livros de autores brasileiros ou estrangeiros, publicados entre o meses de janeiro e outubro. “Os Ena­moramentos”, do escritor madrilenho Javier Marías foi o livro que obteve mais indicações, seguido por “Ar de Dylan”, do também espanhol Enrique Vila-Matas; e “A Borra do Café”, do uruguaio Mario Benedetti. Com­pletam a lista, “Serena”, do britânico Ian McEwan; “Chamadas Te­lefônicas”, do chileno Roberto Bolaño; “O Torreão”, da norte-americana Jennifer Egan. Abaixo, em ordem classificatória, as sinopses dos melhores livros ficcionais do ano segundo os convidados consultados. As sinopses são das editoras.

Os Enamoramentos
Autor: Javier Marías
Preço: R$ 49,50
Companhia das Letras

María Dolz, uma solitária editora de livros, admira à distância, todas as manhãs, aquele que lhe parece ser o casal perfeito: o empresário Miguel Desvern e sua bela esposa Luisa. Um dia Desvern é morto por um flanelinha mentalmente perturbado e María se aproxima da viúva para conhecer melhor a história. Passa então de espectadora a personagem, vendo-se cada vez mais envolvida numa trama em que nada é o que parecia ser, e em que cada afeto pode se converter em seu contrário: o amor em ódio, a amizade em traição, a compaixão em egoísmo. A história, narrada em primeira pessoa por María, sofre as oscilações de seus estados de espírito, de seus “enamoramentos”, evidenciando que todo relato é tingido pela subjetividade de quem conta.

Ar de Dylan
Autor: Enrique Vila-Matas
Preço: R$ 59,00
Cosac Naify

Narrado por um escritor de meia-idade convidado para um congresso internacional sobre o fracasso, “Ar de Dylan” conta a história do jovem Vilnius Lancastre, publicitário fracassado e cineasta de um único curta-metragem, cuja principal característica é sua semelhança física com Bob Dylan — o que lhe vale o apelido de Little Dylan. Após um tombo em que bate a cabeça no chão, Vilnius herda a memória do pai, um escritor recém-falecido, “especialista em se transformar a cada livro”. Ora conduzido pelo narrador, ora pelas encenações de Vilnius (guiado pelo fantasma do velho pai), “Ar de Dylan” é uma alucinante história sobre originalidade, autoria, identidade e memória. “É um romance difícil de resumir. Há de se ler inteiro para entender. É um livro para ser lido”, afirma Vila-Matas.

A Borra do Café
Autor: Mario Benedetti
Preço: R$ 32,90
Alfaguara

Em “A Borra do Café”, Mario Be­nedetti mescla memória e invenção e resgata as lembranças de sua infância em Montevidéu para construir uma narrativa lírica sobre as surpresas e as dificuldades do amadurecimento. Com sua peculiar habilidade narrativa, o autor relata pequenos acontecimentos, fazendo com que o leitor reconheça a si mesmo. Na figura do jovem Claudio, o consagrado escritor uruguaio, autor de “A Trégua”, reinventa e revisita muitas passagens marcantes de sua vida: as brincadeiras de rua com os amigos, as constantes mudanças de bairro com a família, a trágica morte da mãe e a descoberta do amor e do sexo. “Benedetti nos conduz com humor e lirismo às suas aventuras e desventuras, tenham sido elas vividas ou inventadas”, escreve Martha Medeiros na apresentação do livro.

Serena
Autor: Ian McEwan
Preço: R$39,00
Companhia das Letras

Ao ser contratada pelo MI5, o Serviço Secreto Britânico, a protagonista Serena se vê como participante de uma mentira cujo objetivo é fomentar a criação de uma ficção. Isso porque ela é incumbida de estabelecer contato com um escritor a quem não pode contar que é uma espiã, nem que o dinheiro que ele passará a receber virá do Estado. Mas o contexto de toda essa armação é uma guerra real, num período bastante violento da história da Inglaterra, especialmente por causa da atividade do IRA. E, para Serena, o caso envolve ainda sua vida pessoal, tanto no que se refere a seu antigo amante, que a introduziu no MI5, quanto no que se refere ao escritor que é vítima do ardil, por quem acaba se apaixonando. Ela é, portanto, agente e vítima, personagem e criadora, num romance em que todos esses papéis são questionados com fervor.

Chamada Telefônicas
Autor: Roberto Bolaño
Preço: R$ 39,00
Companhia das Letras

“Chamadas Telefônicas” reúne uma série de histórias curtas, com desfechos inesperados, que abrem caminho para múltiplas interpretações. Tal é o caso de “Sensini”, o primeiro conto da coletânea, sobre um escritor argentino que se especializou em ganhar concursos literários. Trata-se de personagem arquetípico na obra do autor. Na segunda parte do livro, o espectro metaliterário cede lugar à violência e os leitores de Bolaño reencontrarão “velhos conhecidos”. Em um dos contos, o autor retoma a paisagem da cidade fronteiriça de Santa Teresa, em outro resgata seu alter ego Arturo Belano. A sensação de déjà-vu estende-se também à terceira e última parte, protagonizada por personagens femininas indecifráveis.

O Torreão
Autor: Jennifer Egan
Preço: R$ 29,90
Intrínseca

Danny é um nova-iorquino viciado em celular que, entre outros estranhos talentos, consegue detectar na própria pele se um lugar tem sinal de internet wi-fi. Quando seu primo Howard, de quem havia se afastado após uma brincadeira de mau gosto na adolescência, o convida para conhecer o castelo europeu que comprou e está reformando com a intenção de transformar em hotel de luxo, Danny acha que é uma boa oportunidade para retomar o contato. Ao chegar lá, no entanto, as coisas começam a ficar estranhas. O torreão do castelo, que serviu de fortificação durante muitos séculos e resistiu a diversas tentativas de invasão, ainda é ocupado pela antiga proprietária — uma baronesa sinistra que parece velha demais para estar viva. Uma piscina mal-assombrada e um traiçoeiro labirinto subterrâneo completam a aura de mistério do lugar.

É permitida a reprodução total ou parcial sem autorização prévia dos editores, desde que citada a fonte.
© Copyright 2014 — Revista Bula — Literatura e Jornalismo Cultural — seutexto@uol.com.br
wilder morais
renovatio