revista bula
POR EM 27/12/2011 ÀS 11:31 AM

102 coisas para fazer em 2012

publicado em

É inevitável: o ano de 2012 será marcado pelas profecias ruins do calendário maia. Como já estamos cismados, qualquer mugido do clima e já estaremos pensando nas catástrofes do fim do mundo. Mesmo que a profecia não aconteça no atacado, ela tenderá a ocorrer no varejo, no plano pessoal. Nesse clima de pânico, a palavra de ordem é ESCAPAR. Tanto no sentido de fugir quanto no sentido de sobreviver. Assim sendo, muito do que devemos fazer em 2012 será relacionado a essa máxima:  fuja e sobreviva. No entanto, mesmo diante de tanta neura, não se deve é perder a ternura.
 

1 – comprar repelentes contra as catástrofes anunciadas

2 – escapar de zonas conflagradas pelo clima

3 – escapar da blitz da lei seca e de qualquer cerco da polícia

4 – recitar um poema à pessoa querida

5 – escapar dos assaltantes, traficantes e 171

6 – escapar dos políticos e das milícias

7 – escapar dos bancos, seguradoras, governo e do fisco

8 – casar por amor

9 – jantar com a família num ritual de boa convivência

10 – trabalhar menos e ganhar mais (ainda que em moeda existencial)



11 – escapar do congestionamento e dos horários de rush

12 – escapar da rotina e de relações danificadas

13 – escapar dos sete pecados capitais e seu marketing irresistível

14 – escapar da inércia e do sedentarismo

15 – escapar dos vícios, inclusive do vício da abstemia

16 – escapar dos vírus, bactérias, micróbios e gente miúda de ideia

17 – atrelar seu coração a sentimentos realmente edificantes

18 – escapar da tirania dos filhos adolescentes

19 – escapar dos amigos da onça e dos pedintes

20 – escapar da sedução barata das religiões e das ideologias

21 – se não puder salvar o planeta, salvar pelo menos o coração do mundo. O coração do mundo é o ambiente ao seu redor

22 – escapar do ateísmo fundamentalista

23 – escapar da descrença e da coragem fora de hora

24 – escapar da passeata pela maconha

25 – escapar do chifre e das moscas do chifre

26 – falar menos e escutar menos ainda (sobretudo os ruídos da civilização) e tirar momento para você mesmo

27 – escapar do tédio e da euforia

28 – escapar do derrotismo e do triunfalismo

29 – escapar do celular e do iPhone

30 – escapar das redes sociais

31 – escapar da televisão, dos noticiários e da manchete do jornal

32 - comer menos e exercitar mais

33 – ser honesto por princípio e não pelo marketing pessoal

34 – escapar dos agrotóxicos e das áreas de escape

35 – consultar um vidente só pelo prazer de duvidar

36 – escapar dos intelectuais e dos ignorantes

37 – escapar dos insensatos e dos zens de todo tipo

38 – escapar dos santos e dos endiabrados

39 – escapar dos derrotistas e dos salvadores da pátria

40 – escapar dos demagogos, falsários, piratas, traficantes e comovidos

41 – escapar dos interesseiros e dos desinteressados

42 – escapar dos sábios de improviso

43 – escapar dos libertinos e dissipadores

44 – escapar dos sovinas e marreteiros

45 – capar dos metidos a besta e dos bestas genuínos

46 – viver o dia não como o último, mas o primeiro

47 – escapar da leitura inútil e da utilitária

48 – escapar das doenças e dos médicos

49 – escapar da fúria do capital e do socialismo estéril

50 – escapar das crises (sobretudo as artificiais)

51 – escapar das listas e receituários

52 – escapar de você mesmo e de todos os malucos ao redor

53 – vestir um terno de vidro temperado (à prova de bala de fuzil)

54 – usar um filtro de ar portátil

55 – correr dos suspeitos

56 – virar um suspeito e botar gente pra correr

57 – portar na cinta um spray de pimenta

58 – levar pedras para a intifada

58 – desconfiar da fada madrinha

59 – fazer a primeira excomunhão

60 – reinventar-se profissionalmente

61 – escapar do mercado

62 – atrelar a vida a um projeto maior que a própria vida

63 – estabelecer metas e festejar seus cumprimentos

64 – não se descabelar pelas metas não batidas

65 – encenar o seu próprio script

66 – vender churrasquinho de gato nos bastidores do apocalipse

67 – tomar banho de sal grosso

68 – exorcizar o próprio espírito de porco

69 – escapar da auto complacência

70 – mudar pro sítio, lamber a cria,  curtir os netos

71 – cair num buraco e dizer aos outros que subiu na vida

72 – fazer coisas de vulto que possam constituir o seu passado de honra

73 – escrever as memórias

74 – viver e tão somente viver

75 – transcender às aparências

76 – ver a felicidade como utopia, e nunca deixar de ser sempre utópico

77 – comprar remédio pra memória e não se esquecer de tomar

78 – ler o horóscopo do dia e fazer tudo ao contrário

79 – ouvir a voz do anjo (mas não ser ridículo de sair contando pros outros)

80 – rasgar seus best sellers

82 - ler, ou tentar ler, O homem sem qualidades, de Musil

83 – contar uma mentira salvadora e chorar a dor do amigo

84 – descobrir que a verdade é relativa e como tal é uma farsa

85 – apaixonar de novo, mesmo sabendo que a paixão é enganosa

86 – fazer serenatas, ainda que ridículas

87 – casar pela sétima vez

88 – ter um filho mais novo que os netos

89 – exercitar o ócio (é diferente de praticar algum lazer)

90 – agradecer a Deus, sempre (lembre-se: sua pereba poderia ser câncer de ossos)

91– montar um pequeno observatório e contar estrelas

92 – contar estrelas sem observatório

93 – descobrir os próprios dons e exercitá-los

94 – vender todos os bens e virar monge trapista

95 – abandonar os votos e virar militante

96 – desertar da guerra e beber cerveja com o inimigo

97 – sorrir mais e dizer não sem amarelar o sorriso

99 – estabelecer alguma certeza (mesmo que amparado na dúvida)

100 – duvidar de velhas certezas sem aderir aos modismos

101 – escapar vivo de 2012

102 – ser você mesmo, por mais estranho que pareça

É permitida a reprodução total ou parcial sem autorização prévia dos editores, desde que citada a fonte.
© Copyright 2019 — Revista Bula — Literatura e Jornalismo Cultural — seutexto@uol.com.br
wilder morais
renovatio